Bateria do iPhone: 3 verdades que você ainda não conhecia!

A bateria do iPhone é um dos assuntos mais comentados em comunidades de tecnologia, existem alguns mitos que seguem se espalhando, e hoje estamos aqui para falar sobre eles, e dizer até que ponto eles são verdades, ou são mitos populares.

Hoje em dia, ainda existem pessoas que acreditam que o aparelho precisa ser carregado diariamente, preferencialmente ao dormir, para estar em 100% no dia seguinte, além de outros mitos populares. Existem muitos mitos que são criados sobre a preservação e duração da bateria.

E hoje, vamos falar sobre as verdades que todos precisam conhecer sobre a bateria do iPhone.

Verdades que precisam ser conhecidas sobre a bateria do iPhone!

01 – O carregamento rápido não causa danos à bateria do iPhone

Todas as pessoas, ou pelo menos, a grande maioria, tem uma grande parcela da sua vida salva no seu smartphone, e com os usuários do iPhone não seria diferente, de agenda de compromissos à aplicativos de compras online, com favoritos salvos.

O fato é que as pessoas precisam de todas as informações que estão armazenadas no iPhone, pois são de uso diário e muito constante. E com o aparelho descarregando, e as vezes, em uma situação desconfortável, como na rua ou aguardando uma pessoa, existe a necessidade de carregar rápido a bateria do iPhone.

E nesse momento, bate aquela dúvida, será que o carregamento rápido pode causar danos para a bateria do iPhone? De acordo com especialistas, o carregamento rápido NÃO causa danos ao aparelho. Podemos confirmar essa afirmação, já que os aparelhos a partir de 2017, começando pelo iPhone 8 já possuem essa opção de fábrica.

Mas é importante entender como funciona o carregamento rápido, ele acontece em dois estágios, o primeiro realiza uma aplicação de grande quantidade de tensão, caso a bateria esteja vazia ou muito perto estar vazia, fornecendo uma carga de 50% em 30 minutos. Na segunda fase, acontece o restante do carregamento.

02 – Manter o carregamento durante a noite não causa danos à bateria

Outro mito muito popular sobre a bateria do iPhone é sobre o seu carregamento noturno. Muitas pessoas acreditam que deixar o aparelho carregando ao longo da noite, pode causar uma sobrecarga na bateria quando ela atingir a carga completa, ou seja, 100%.

Mas, de acordo com especialistas, isso NÃO é verdade. O iOS foi criado para desligar a corrente elétrica quando ela alcançar a sua carga máxima, antes que aconteça a sua sobrecarga. Dessa forma, é possível manter o aparelho em segurança, já que não haverá energia sendo depositada no aparelho já carregado.

No iOS 13, houve um esforço ainda maior em relação à segurança no processo de carga da bateria, onde visando minimizar ainda mais os riscos, a gigante norte americana, criou uma função conhecida como Carregamento Otimizado de Bateria, que faz interrupção da carga ao atingir 80%, e retorna o mais próximo possível do momento em que o usuário for precisar utilizar.

É um recurso que funciona muito melhor para usuários que possuem horários regrados, como acordar sempre no mesmo horário, para que dessa forma, utilizando IA- Inteligência Artificial, o sistema consiga realizar o cálculo correto em relação ao horário que a carga precisa ser reiniciada.

03 – Temperaturas altas podem causar danos para a bateria do iPhone

Realmente, as altas temperaturas podem causar danos ao iPhone. Quando falamos em altas temperaturas, são aquelas que ultrapassam 35°C, e ao alcançar essa temperatura o aparelho está sujeito à danos sérios, reduzindo sua eficácia, eficiente e agilidade.

Em alguns casos, pode ser necessário buscar auxílio de uma assistência técnica especializada para reparar os danos que foram causados pelas

Aprender francês: 7 razões por que é um diferencial no mercado de trabalho

Se você alguma vez já se perguntou porque aprender francês pode ser importante para você no mercado de trabalho, ou se você nunca se perguntou isso, é importante saber que aprender francês pode ser um grande diferencial no mercado de trabalho.

Mas por que aprender francês pode ser tão importante assim? Vamos te dar 7 razões por que aprender francês é um diferencial enorme no mercado de trabalho atual. confira!

1 – Francês é a terceira língua mais importante da internet

Se você acha que só o inglês é importante, não é mais o caso. na internet, o primeiro lugar ainda é do inglês, seguido pelo espanhol e aí temos o francês.

Ou seja, se você aprender francês, terá acesso a muito mais conteúdo online, que fica restrito a quem tem domínio da língua.

2 – Muitos países no mundo falam francês

Você pode ter a ideia errada de que “só se fala francês na frança”. não é assim mesmo. só para você ter uma ideia da abrangência da língua francesa, mais de 200 milhões de pessoas falam a língua francesa nos 5 continentes. o francês é a língua oficial de 33 países.

Aprender francês abre inúmeras oportunidades de comunicação com pessoas diferentes, dos mais variados países.

3 – O francês é o idioma oficial de várias organizações mundiais

Se você opta por aprender francês, então é importante saber que diversas organizações mundiais tais como a cruz vermelha, a organização das nações unidas (onu), unesco, fundo monetário internacional (fmi) têm o francês como língua oficial. Ou seja, aprender francês pode abrir oportunidades em todas essas organizações. 

Além disso, a sede de outras organizações, como o comitê olímpico internacional (coi) são em cidades francófonas, que são cidades cuja língua oficial é o francês.

Esse é o caso de lausanne, na suíça. de fato, a suíça é um país no qual se fala francês, italiano e alemão, mas a sede do coi fica na cidade de lausanne, que tem francês como a língua oficial.

4 – O mercado exige mais que somente inglês

Atualmente, o mercado de trabalho já exige bem mais que somente saber inglês. de fato, as empresas consideram que saber inglês é essencial, básico, não sendo mais um diferencial.

O que o candidato sabe além do inglês é que representa o diferencial. portanto, aprender a língua em uma escola de francês torna-se um grande diferencial, em um mundo em que há muitos candidatos para poucas boas vagas de trabalho. 

Aprendendo francês, você multiplica suas possibilidades no acirrado e competitivo mercado de trabalho atual.

5 – A cultura francesa é muito vasta

Tendo domínio da língua francesa, você poderá ler e compreender melhor as grandes obras da cultura francesa, como os autores victor hugo, júlio verne, balzac e proust.

Em relação a filmes, você poderá assistir aos filmes de godard, truffaut, dentre outros, bem como filmes com juliette binoche e alain delon, por exemplo.

Além disso, você poderá cantar as músicas de edith piaf e charles aznavour no idiota original. demais, não é mesmo?

Muito se perde na tradução e legendação dessas obras. assim, aprendendo francês você poderá aproveitar todo esse conteúdo, no seu formato original, adentrando e aproveitando um mundo cultural de inestimável valor.

6 – Há excelentes universidades francesas à disposição

O programa ciência sem fronteiras, do ministério da educação, permite que você estude em universidades francesas, tais como a sorbonne, na frança. De fato, o francês é o segundo idioma oficializado pelo mec. assim, sabendo francês, grandes oportunidades de formação podem abrir para você.

7 – O francês não é uma língua difícil de aprender

Por ter

Brasil tem o maior mercado gamer da América Latina

Mercado de jogos movimentou cerca de R$ 5,6 bilhões só em 2018

 

Se até algum pouco tempo atrás, videogame era considerado coisa de adolescente, nos últimos anos, o chamado “mercado gamer” tem se tornado, cada vez mais, coisa séria. Seja pra jogar no conforto da sua poltrona, sentado na frente do computador ou, ainda, em qualquer lugar com seu smartphone, os jogos virtuais fazem parte da rotina de muitos brasileiros.

 

E não, necessariamente, como pura diversão. Para além do entretenimento, os games já podem ser considerados como trabalho para muita gente que escolheu por profissão ser jogador profissional.

Mercado gamer no Brasil

Quem pensa que jogar videogame não dá dinheiro está, absolutamente, equivocado. Em junho de 2019, por exemplo, dois garotos de 16 anos ganharam 3 milhões de dólares, o equivalente, a mais ou menos, R$ 11,3 milhões, em um campeonato do jogo Fortnite.

 

Daí, é possível dimensionar a riqueza que esse mercado movimenta em todo o mundo. Em 2018, por exemplo, o mercado de games movimentou, aproximadamente, R$ 5,6 bilhões no Brasil, de acordo com dados da consultoria Newzoo.

 

A mesma pesquisa contabilizou a existência de cerca de 75,7 milhões de jogadores no país. Sendo assim, no ranking mundial, o Brasil aparece como 13º maior mercado na área, além de estar na dianteira entre os países latino-americanos.

 

Para chegar a esse resultado, a pesquisa utilizou dados de 62 mil pessoas de 30 países em todo o mundo. O número é referente ao faturamento anual de cada país no setor de jogos, sendo que o Brasil teve uma receita de 1,6 bilhão de dólares.

 

No mercado de trabalho, por sua vez, tais números têm ainda mais impacto. Isso porque houve um aumento de 164% no número de desenvolvedores de jogos, de 2014, quando foi realizado o primeiro censo, até 2018. A maioria dessas empresas está localizada no Sudeste, a exemplo do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

 

O empresário Marcelo Tavares, organizador da Brasil Game Show, no entanto, propõe que esses números sejam ainda maiores, já que acredita que tenhamos a terceira maior população gamer de todo o mundo. “A gente tem mais de 60 milhões de jogadores, e com um faturamento que ainda pode crescer muito,” disse Tavares. De qualquer forma, tais números apontam para um crescimento significativo do mercado de jogos, que só tende a aumentar nos próximos anos.

Diferentes plataformas

Os games de hoje em dia não se resumem aos jogos que usam consoles, já que smartphones e tablets também tornaram-se plataformas virtuais perfeitas para se jogar, independente de onde você se encontra.

 

Os dispositivos móveis já conseguiram ultrapassar os consoles, chegando a faturar uma receita mundial de 36,9 bilhões de dólares ao ano. Os consoles, por sua vez, movimentam uma média de 47,9 bilhões de dólares, enquanto games de PC, download via navegador, geram, mais ou menos, 35,7 bilhões de dólares.

Crescimento exponencial

Segundo a 19ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia da PwC, o mercado de games tende a crescer por volta de 5,3% até 2022. Só com os jogos de celulares, o faturamento mais que dobrará, passando de 324 milhões de dólares, em 2017, para 878 milhões de dólares, daqui a dois anos.

 

Para tal resultado, foram utilizados dados de 15 segmentos do setor, em 53 países. A receita global, de acordo com o censo, deve chegar a 2,4 trilhões de dólares em 2022. Em 2017, foram registrados 1,9 trilhão de dólares.

 

A pesquisa aponta, ainda, que os segmentos que mais vão crescer nesses próximos dois anos serão os de …